Javascript - Habilite o javascript em seu navegador para poder logar e utilizar o site.
Blinking light Poste

Pinot Noir • Safra 2016 • Vinho

Le Duc Noir

92 Pontos | Robert Parker • The Wine Advocate

Sonoma Coast • Estados Unidos • 750 ml

Tipo
Corpo
Aromas e Sabores
Uva(s): Pinot Noir.
Harmonização: Aves, Carnes de caça, Frutos do mar, Quiches.
Ocasiões: Degustar devagar, Presentear alguém, Quem aprecia clássicos.
Envelhecimento: Sur Lie por 7 meses em barricas de carvalho francês (25% de primeiro uso).
Temperatura de Serviço: 17 ° C
Teor Alcoólico: 14,5 %
Volume: 750 ml

de R$270,00 por

R$ 240,00
Associado do Clube

R$216,00


CONHEÇA O CLUBE

Quando um enólogo decide trabalhar com a casta Pinot Noir é algo bonito de se ver. Essa é uma cepa de difícil cultivo, casca fina, bastante suscetível ao ataque de fungos, desarmada para índices pluviométricos muito elevados e verões excessivamente quentes. Então se pode dizer que produzir vinhos de Pinot Noir é praticamente uma vocação, é a arte que existe além da enologia pura e simples, é trabalhar em conjunto com a natureza, aceitando seus imprevisíveis desafios. Não bastasse isso, o “standard” de sucesso da Pinot Noir já está escrito e se chama Borgonha. Portanto, o mundo vem tentando por anos trazer nuances de Borgonha nos vinhos feitos fora dessa região, tanto no Velho Mundo como no Novo Mundo. Então o que seriam essas nuances? São o espelho da complexidade de um terroir, daquilo que vai além da fruta e traz consigo aromas e sabores dificilmente imaginados em uma variedade tão delicada. A verdade é que poucos conseguem executar tamanha maestria com a Pinot Noir, mas, quando isso acontece, é algo que deve ser apreciado com respeito.

Como sou um grande apreciador dessa cepa, já degustei diversos varietais dela. O maior problema é que, principalmente quando falamos de Novo Mundo, fica difícil encontrar solos com a complexidade de camadas que tem a Borgonha, quase sempre os verões são demasiadamente quentes para essa casta e por muitas vezes o volume acaba vindo na frente da qualidade. Eis que me deparei com uma raridade norte-americana, que fiz questão de compartilhar no Clube Vinhos de Bicicleta. O nome é Le Duc Noir, um monocasta de Pinot Noir de apenas 16.800 garrafas produzidas, a partir de vinhedos em Sonoma Coast, mais precisamente em Russian River Valley (86%) e Carneros Sonoma Valley (14%). Para esse rótulo, a vinícola buscou atrevidamente a essência da Borgonha e eu adorei o resultado. Trata-se de uma belíssima mistura entre a energia de um clima quente com a elegância aromática típica de climas mais frios. Nesse vinho as frutas silvestres encontraram os toques terrosos e defumados que a Pinot Noir tem potencial para oferecer. Deguste devagar e sinta a surpreendente evolução em taça da mais esmerada das uvas tintas.

Texto do Sommelier Rodrigo Ferraz - Direitos Reservados