Javascript - Habilite o javascript em seu navegador para poder logar e utilizar o site.
Blinking light Poste

Assemblage • Safra 2013 • Vinho

Flor de Nelas Reserva

D.O.C. Dão • Portugal • 750 ml

Tipo
Corpo
Aromas e Sabores
Uva(s): Alfrocheiro, Tinta Roriz, Touriga Nacional.
Harmonização: Massas, Presunto cru, Queijos maturados, Quiches.
Ocasiões: Degustar devagar, Noite intimista, Quem aprecia clássicos.
Envelhecimento: 6 meses em barricas de carvalho francês.
Temperatura de Serviço: 18 ° C
Teor Alcoólico: 13 %
Volume: 750 ml

de R$112,00 por

R$ 98,00
Associado do Clube

R$88,20


CONHEÇA O CLUBE

Em sua última visita ao Brasil, tive o prazer de receber a enóloga Sónia Martins para uma degustação na sede do Clube Vinhos de Bicicleta. Essa figura emblemática (e simpática) do vinho português conhece como poucos os diferentes estilos vitivinícolas de sua terrinha. Afinal, ela elabora vinhos em quase todos os cantos do país, de norte a sul, de leste a oeste. É claro que, estando na presença de uma profissional tão diversificada no quesito terroir, não pude deixar de fazer uma pergunta provocativa: “Sónia, levando em conta sua opinião pessoal, qual é a região do vinho português mais marcante pra você?”. Houve alguns segundos de hesitação em responder, mas no fim não teve jeito, ela acabou revelando. Para minha surpresa, as duas escolhidas por ela não estão entre as mais famosas e prestigiadas de Portugal – e como eu gostei dessa resposta! A primeira seria a Bairrada, afinal ela é natural daquela terra, então a memória afetiva falou mais alto. Já a outra mencionada foi o Dão, que segundo ela própria é uma área muito especial para se fazer vinhos, ocupando então um lugar de destaque em seu coração de enóloga.

Mas o que leva uma enóloga experiente a nomear o Dão entre suas regiões bem-amadas do vinho? Vamos desvendar isso através da maneira mais apropriada, degustando um bom vinho de lá. Para isso escolhi um rótulo didático, que servirá para demonstrar o potencial de complexidade e evolução de aromas da região. Primeiro precisamos entender um pouco do terroir e da história regional. Essa é a mais antiga denominação de origem portuguesa para vinhos tranquilos, muito caracterizada pelas altas serras que a contornam, evitando assim a influência marítima do Atlântico. Também é reconhecida como o berço natural da Touriga Nacional, a principal casta portuguesa. Ali o clima é continental moderado e o solo granítico, fatores que ajudam a amadurecer os frutos lentamente, sem que percam seu frescor natural. A soma desses fatores resulta em vinhos com excelente evolução em garrafa, que acabam desenvolvendo uma série de aromas terciários com a idade. Quando degustar um típico Dão de safra mais antiga, perceba as nuances de aceto balsâmico, flores secas, trufas, frutas secas, alcaçuz, entre outros. Deguste com calma e divirta-se com essa incrível experiência.

Texto do Sommelier Rodrigo Ferraz - Direitos Reservados