Javascript - Habilite o javascript em seu navegador para poder logar e utilizar o site.
Blinking light Poste

Loureiro • Safra 2016 • Vinho

Campelo Loureiro

Caves Campelo

Minho (D.O.C. Vinho Verde) • Portugal • 750 ml

Tipo
Corpo
Aromas e Sabores
Uva(s): Loureiro.
Harmonização: Frutos do mar, Peixes, Quiches, Saladas.
Ocasiões: Balde de gelo na piscina, Dia de sol, Tarde de picnic.
Envelhecimento: Poucos meses em tonéis de aço-inox.
Temperatura de Serviço: 8 ° C
Teor Alcoólico: 11,5 %
Volume: 750 ml

de R$77,00 por

R$ 72,00
Associado do Clube

R$64,80


CONHEÇA O CLUBE

Descrição Detalhada

Vinho Verde é uma das principais denominações de origem de Portugal, localizada na região do Minho, ao norte do país lusitano. Particularmente aprecio bastante os vinhos criados ali, pois são muito autênticos. Os principais fatores que garantem essa autenticidade estão no clima, com muita influência das brisas provenientes do Oceano Atlântico, e também no solo, que é majoritariamente granítico e garante uma mineralidade muito interessante para os vinhos ali produzidos. Outra característica de destaque nos famosos Vinhos Verdes é a elevada acidez, que traz consigo até uma percepção de leve efervescência no paladar. Essas características fazem desses vinhos excelentes dicas de degustação em dias mais quentes, principalmente acompanhando pratos de sabor leve e um banho de piscina ou de mar!

Vale lembrar que Vinho Verde é denominação de origem e não estilo de vinho, sendo assim, existem Vinhos Verdes brancos, rosés e tintos. Os dois primeiros acabam sendo mais consumidos exatamente por conta da elevada acidez nos vinhos da região, que pode causar certa estranheza no paladar do consumidor quando o Vinho Verde é tinto. Alguns dos bons exemplares de Vinho Verde que chegam ao Brasil são aqueles produzidos pela Caves Campelo, fundada em 1951 por Joaquim Miranda Campelo e seus filhos. Escolhi para a Seleção Liberté de abril de 2019 um dos varietais superiores produzidos pela vinícola feito 100% com a uva Loureiro. O nome dessa casta deriva de “louros”, como eram chamadas as folhas da vinha por causa do seu perfume intenso. A flor dessa vinha também apresenta notas aromáticas marcantes com ênfase em sua personalidade floral, lembrando as flores de acácia, tília e laranjeira.

Texto do Sommelier Rodrigo Ferraz - Direitos Reservados